Burkitt no Sistema Nervoso Central

2013-11-11 21.23.21
See English version

Em julho de 2012, nas férias de inverno na casa da minha mãe, notei que a mão esquerda do meu filho estava sem movimento, ele é canhoto e não conseguia desenhar…. saí correndo com ele e o levei para o pronto socorro de um hospital ótimo em São Paulo, Albert Einstein…. passou com o Ortopedista, Pediatra e Neurologista, disseram que ele estava ótimo e que havia sido uma lesão no nervo da mão, por algum esforço que tivesse feito. Passou uma semana e nada de melhorar, levei-o em outro neurologista, disse a mesma coisa: lesão no nervo da mão, passou 10 sessões de fisioterapia e Eletromiografia caso não melhorasse, 1 semana a mais e nada de melhorar, consegui agendar outro neurologista que disse que ele não tinha nada, mas pediu uma tomografia.

Eu havia acabado de mudar de área no meu trabalho, fazia 2 meses, estava em um treinamento, primeiro dia, a secretária do médico liga dizendo que ele queria falar comigo no outro dia 10am… eu já gelei e morri ali, nunca nenhum médico ligou para mim, só podia ser algo grave. Tentei falar com ele naquele dia, com o laboratório, feito louca, consegui ver o laudo pela internet quase meia-noite dizendo que havia algo ali, que parecia Cavernoma, comecei a ler sobre Cavernoma e fiquei desesperada (mal sabia que era ainda pior) , no outro dia chegamos na consulta o médico pergunta pela tomografia, não tínhamos, o motoboy iria levar em casa, fomos atrás do laboratório, motoboy e conseguimos 2a. via. Voltamos no médico ele disse: não, isso não é tumor, mas pode ser um sangramento que não escoou. Corram para o Hospital e peçam uma ressonância. Fomos para casa, pegamos o meu herói e fomos ao hospital. Depois de brigar com 3 atendentes que disseram que não podiam pedir RM, que eu teria que agendar … consegui passar no PS e a médica pediu que o internasse na UTI  e pediu a RM. Da UTI ele só saiu 2 meses depois. Uns 3 dias depois o Neuro veio falar conosco que aquilo não era sangramento, que era um tumor, grande de 7 cm por 6cm… no Tálamo, um local de difícil acesso, que não daria para operar e ele era muito novo para fazer radioterapia…. Agendou-se a biópsia, e , sinceramente, no cérebro, quando saiu o resultado conhecemos a Dra. Maria Lydia , que foi lá informar que ele tinha um Linfoma …a gente não sabia o que era Linfoma, mas sorrimos, porque havíamos visto outros tipos de tumores cerebrais, mas nunca Linfoma… então devia ser algo bom, risos. Ela disse que tinha muita esperança com o Cássio, mas que teria que correr, porque ele tinha que começar a quimio naquele dia, só então soubemos que é um tumor que tem alta chance de cura , mas é muito agressivo.  Foi um ano longo , cheio de internações, mais no hospital que em casa, queda de imunidade, antibióticos, picadas intermináveis, como vocês já sabem, mas estamos muito felizes. O Cássio começou o tratamento em agosto de 2012 e terminou em julho de 2013, já voltou para a escola, para a natação… claro que eu fico doida com qualquer sintoma diferente que ele apresente, com medo desse terror voltar, mas agradeço a Deus todos os dias por ele estar comigo e por ter sido o Linfoma de Burkitt, em vez de um Gliobastoma, Astrocitoma…. ele está comigo 🙂 Muita força a todos.

Submitted by; Viviane Guimarães